segunda-feira, 7 de setembro de 2015

Chappie (2015)


Título Original: Chappie

Gênero: Ação, Crime e Ficção Científica

Diretor: Neill Blomkamp

Roteiro: Neill Blomkamp e  Terri Tatchell

Sinopse: "Em um futuro próximo, uma opressiva força policial mecanizada é encarregada de patrulhar as ruas e controlar o crime em Joanesburgo, África do Sul. Um dos androides da força policial é roubado e reprogramado com o intuito de ser utilizado como arma pelos criminosos. Ao ser reprogramado, o androide se torna Chappie, o primeiro robô com capacidade de pensar e sentir por si mesmo."

Trailer 




 Quando falamos de blockbuster, facilmente associamos aquele filme cheio de efeitos visuais, ação e nem sempre acompanhado de uma boa história. É bom saber que existe exceções, e um dos diretores que trazem às telas, não só explosões e lutas, mas uma boa reflexão, é Neill Blomkamp do ótimo Distrito 9.

 Em Chappie, parece que Blomkamp acaba tropeçando em alguns erros. Talvez um dos pequenos defeitos seja carregar algumas características do oitentista Um Robô em Curto Circuito e aquela velha visão do futuro com máquinas no poder. "Mas do mesmo"...alguns podem pensar. O filme consegue desviar para um enredo interessante, se o telespectador não for tão radical ao assistir. Ainda encontramos uma crítica social forte na humanização do carismático protagonista mecanizado e tudo que o cerca. É impressionante que, mesmo se tratando de um robô, a movimentação e as situações conseguem cativar sem muito exagero, e logo esquecemos do androide e conseguimos enxergar quase um ser humano ali, tendo que lidar com a forte influência do ambiente que vive e do ponto de vista referente ao certo e errado das pessoas que o adotam. Esse é o grande mérito do roteiro, que não cai apenas em cenas de ação para agradar um grande público. Mesmo nos deparando com algumas sequências irritantes e outras até engraçadas, consegue ter um resultado satisfatório.

Avaliação:
Péssimo
Ruim
Regular
Bom
Ótimo