domingo, 20 de setembro de 2015

Frances Ha (2012)




Título Original: Frances Ha

Gênero: Comédia e Drama

Direção: Noah Baumbach

Roteiro: Noah Baumbach e  Greta Gerwig

Sinopse: "Frances mora em Nova York, mas na verdade ela não tem um apartamento. Frances é aluna numa companhia de dança, mas não é de fato uma bailarina. Frances tem uma melhor amiga chamada Sophie, mas na verdade elas não estão se falando mais. Frances se joga de cabeça em seus sonhos, mesmo que a possibilidade de realização seja pequena. Frances deseja muito mais do que tem, mas ela leva sua vida com leveza e uma alegria inexplicável."

Trailer


Ao assistir o trailer de Frances Ha, ficou claro pra mim que não se trata de uma obra voltada para o público "pop". Até aí, sem problemas. Gosto de explorar filmes que saem da normalidade e apresentam uma boa história. No meu caso, infelizmente, não foi dessa vez.

 Frances Ha foi feito em preto e branco, talvez para remeter uma época nostálgica. De fato, é possível entrar em um clima anos 80, principalmente na cena em que Frances dança na rua espontaneamente, ao som de Modern Love-David Bowie. Entretanto, o enredo se torna monótono, não porque precisa ser parado, e muito menos porque reflete a rotina da personagem... E sim porque os acontecimentos não são apresentados de uma maneira atraente. A protagonista vivida por Greta Gerwig é carismática e tem mesmo uma alegria inexplicável, e isso está presente em seu comportamento impulsivo... Porém, faltou um certo limite e acabou ficando muito infantil, o que tornou as cenas forçadas no lugar de me passar naturalidade. O humor aparece uma vez ou outra (longe de ser tão engraçado) e os momentos difíceis de amizade e dificuldades são até interessantes, mas não salva o filme, apenas o torna assistível. Esperei ver uma obra com personagens tão cativantes como Nebraska, que me passasse uma forte reflexão como Whiplash e até apresentasse um cotidiano envolvente como Boyhood...e fiquei só na espera mesmo. Apesar de achar "mais ou menos", ainda recomendo para quem gosta de filmes cults. É aquele tipo de título que divide facilmente opiniões.

Avaliação:
Péssimo
Ruim
Regular
Bom
Ótimo

segunda-feira, 7 de setembro de 2015

Chappie (2015)


Título Original: Chappie

Gênero: Ação, Crime e Ficção Científica

Diretor: Neill Blomkamp

Roteiro: Neill Blomkamp e  Terri Tatchell

Sinopse: "Em um futuro próximo, uma opressiva força policial mecanizada é encarregada de patrulhar as ruas e controlar o crime em Joanesburgo, África do Sul. Um dos androides da força policial é roubado e reprogramado com o intuito de ser utilizado como arma pelos criminosos. Ao ser reprogramado, o androide se torna Chappie, o primeiro robô com capacidade de pensar e sentir por si mesmo."

Trailer 




 Quando falamos de blockbuster, facilmente associamos aquele filme cheio de efeitos visuais, ação e nem sempre acompanhado de uma boa história. É bom saber que existe exceções, e um dos diretores que trazem às telas, não só explosões e lutas, mas uma boa reflexão, é Neill Blomkamp do ótimo Distrito 9.

 Em Chappie, parece que Blomkamp acaba tropeçando em alguns erros. Talvez um dos pequenos defeitos seja carregar algumas características do oitentista Um Robô em Curto Circuito e aquela velha visão do futuro com máquinas no poder. "Mas do mesmo"...alguns podem pensar. O filme consegue desviar para um enredo interessante, se o telespectador não for tão radical ao assistir. Ainda encontramos uma crítica social forte na humanização do carismático protagonista mecanizado e tudo que o cerca. É impressionante que, mesmo se tratando de um robô, a movimentação e as situações conseguem cativar sem muito exagero, e logo esquecemos do androide e conseguimos enxergar quase um ser humano ali, tendo que lidar com a forte influência do ambiente que vive e do ponto de vista referente ao certo e errado das pessoas que o adotam. Esse é o grande mérito do roteiro, que não cai apenas em cenas de ação para agradar um grande público. Mesmo nos deparando com algumas sequências irritantes e outras até engraçadas, consegue ter um resultado satisfatório.

Avaliação:
Péssimo
Ruim
Regular
Bom
Ótimo