segunda-feira, 31 de agosto de 2015

Festa no Céu (2014)


Título Original: The book of life

Gênero: Animação, Aventura e Comédia

Diretor:  Jorge R. Gutiérrez

Roteiro: Jorge R. Gutiérrez e Douglas Langdale

Sinopse: "O jovem Manolo tem dúvidas entre cumprir as expectativas impostas por sua família de toureiros ou seguir a vontade de seu coração - que leva à música. Tentando se decidir, ele embarca em uma viagem por três diferentes mundos: o dos Vivos, o dos Esquecidos e o dos Eternizados. Ele encontra figuras marcantes e conta com o apoio do amigo Joaquin e da amada Maria."



Do contrário de animações como Megamente-DreamWorks e Carros-Pixar, em que encontramos um protagonista com valores errados e que no decorrer da história, consegue aprender o certo e mudar seu destino, em Festa no Céu, não é bem assim que acontece. Já fica claro no início, que Manolo será o personagem querido e que vai acabar conquistando o coração da mocinha Maria e seu amigo Joaquin representa o oposto, sendo usado como mal exemplo e passar mensagens positivas para os pequenos. Desse jeito, tudo fica muito previsível, até mesmo para as crianças.

Uma curiosidade pessoal: Xibalba me lembrou Jafar (Aladdin-Disney), principalmente na cena em que "se disfarça" de velhinho para iludir Joaquin, é possível também recordar um pouco a personalidade de Hades (Hércules-Disney). O design dos personagens, que apesar de terem aspectos cartunizados, tem um estilo muito exagerado. Porém, esses pequenos defeitos nos traços são compensados pela bela ambientação colorida relacionada ao Dia dos Mortos. Além do tema, a originalidade se encontra também na passagem da história para representação de bonecos...e para por aqui, infelizmente. As canções tem letras estranhas e parece não combinar muito, com exceção da cena do gigantesco touro. Festa no Céu marca bem mais pela experiência visual. O nome de Guillermo Del Toro foi muito citado para falar da produção, com todo merecimento, mas não considero um dos melhores desenho animados que já trabalhou. Seguindo esse estilo, voltado para o meio infantil, vale a pena conferir A Origem dos Guardiões, onde também produziu.
 
Avaliação:
Péssimo
Ruim
Regular
Bom
Ótimo